Circle

Comitê Científico de Pesquisa Antártica


O Comitê Científico de Pesquisa Antártica (SCAR) é um órgão interdisciplinar do International Science Council (ISC) . SCAR coordena esforços de pesquisa científica internacional na Antártica , incluindo o Oceano Antártico .

O trabalho científico da SCAR é administrado por meio de vários Grupos de Ciências com temas disciplinares. A organização tem status de observador e fornece assessoria independente às Reuniões Consultivas do Tratado da Antártica , além de fornecer informações a outros organismos internacionais, como o Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima (IPCC) e a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC) . [1]

Na reunião do Conselho Internacional de Uniões Científicas (ICSU) na Antártica realizada em Estocolmo de 9 a 11 de setembro de 1957, foi acordado que um comitê deveria ser criado para supervisionar a pesquisa científica na Antártica. Na época, havia 12 nações conduzindo ativamente pesquisas na Antártica e cada uma delas foi convidada a nomear um delegado para integrar um Comitê Especial de Pesquisa Antártica. As 12 nações foram Argentina, Austrália, Bélgica, Chile, França, Japão, Nova Zelândia, Noruega, África do Sul, Reino Unido, Estados Unidos e URSS.

O Comitê Especial realizou sua primeira reunião em Haia de 3 a 6 de fevereiro de 1958 e elegeu seu primeiro Comitê Executivo - Ing. Gen. G. Laclavère como presidente, o professor KE Bullen como vice-presidente e o Dr. V. Schytt como secretário. Uma Comissão de Finanças e três grupos de trabalho também foram formados nesta reunião.

A SCAR é atualmente composta por 32 países membros plenos e 12 países membros associados. Cada país Membro Pleno indica um Delegado Permanente e um Delegado Suplente, os países Membros Associados designam apenas um Delegado. Os Delegados se reúnem a cada dois anos para definir a direção estratégica da SCAR e quais Delegados eleger para o Comitê Executivo. [5]

A frente de parto na entrada SCAR é nomeada em homenagem ao ' Comitê Científico de Pesquisa Antártica . [2] É o fragmento remanescente da plataforma de gelo Larsen B, muito maior, que se desintegrou em 2002. [3]